Estudantes feridos falam sobre o privilégio de sofrer por Cristo

Escrito por Milton Alves
  
ÍNDIA - Os missionários em treinamento falaram sobre o privilégio que sentiram ao sofrer por Cristo após serem atacados em sua faculdade bíblica em Mumbai, Índia. Sete estudantes ficaram gravemente feridos quando um grupo invadiu o campus da faculdade bíblica na noite de domingo. Os alunos estavam preparando sua refeição quando os agressores, armados com paus e barras de ferro, entraram e começaram a bater neles. Os cristãos tentaram conversar com seus agressores e perguntar qual era a queixa contra eles, mas não obtiveram resposta. Hemanti Kashyap ficou ferido quando os agressores o atingiram no estômago com uma barra de ferro. Ele afirma que o incidente deu a oportunidade de colocar em prática todas as lições que ele aprendeu na faculdade.
"Através dessa situação, aprendi o que a Bíblia quer dizer quando afirma: ‘Bem-aventurados os que sofrem por Cristo'. Essa oposição foi o teste para que minha fé siga em frente, e para que eu compartilhe o evangelho. Eles atingiram meu estômago com uma barra de ferro, e me feriram, mas sou grato ao Senhor Jesus, que me guardou, para ser uma testemunha dele."

Confissões de Satanás


Depois de milhares de anos vagando pela Terra aprendi muito da natureza humana, suas fraquezas, seus desejos mais secretos e suas miséria. Tenho consciência que minha causa foi derrotada, entretanto estou trabalhando freneticamente para levar ao destino que me aguarda o maior número possível de pessoas, pois sei que pouco tempo me resta. (1)


Não é fácil a vida de um adversário do Todo Poderoso, principalmente porque Ele conta com um exército fiel de crentes espalhados pelo mundo inteiro que com suas orações produzem uma reviravolta em todo o mal que intento. Felizmente, são poucos os que oram de verdade, porque a maioria está preocupado consigo mesma, outros começam bem, me incomodam, mas logo desistem, pois não tem perseverança.

Drogas destroem você e o seu futuro!

Aperfeiçoando





Clique na imagem para ampliar

A IMPORTÂNCIA DE UMA FOTOGRAFIA-Pr.Josué Gonçalves


TIRE FOTOS E COLOQUE-AS EM QUADROS NA SALA

"Uma fotografia pode trazer esperança,
gerar novos sonhos e despertar
em nós um sentimento
maior de gratidão".

Como é gostoso sentar no tapete da sala, pegar aqueles álbuns de fotografias e ficar relembrando momentos que marcaram as nossas vidas! Você sabia que fotografias geram memórias positivas na construção da cultura familiar? Você sabia que fotografias nos fazem lembrar aquilo que gera esperança? Que fotografias têm o poder de renovar, através da lembrança, compromissos, votos e sonhos? Como eu gostaria de ter mais fotos de quando eu era pequeno, adolescente e jovem! 

Recentemente, na igreja na qual sou pastor, fizemos o culto fúnebre de um irmão que morreu precocemente por causa de um câncer que o acometeu. Um tempo depois da sua morte, a família, filhas, esposa e genro, pegaram algumas fitas VHS e colocaram no videocassete para vê-lo e recordar muitas coisas boas que ele ensinou com a sua vida. 

Muitos não têm noção da importância e do valor de um registro histórico, para a família hoje e para a geração futura. Fotografe os momentos importantes da sua família e exponha em lugares estratégicos. Isso contribui para que nunca a família se esqueça de coisas que são importantes para todos. Além de tirar novas fotografias do seu cônjuge, dos filhos, amigos, família etc, não jogue fora aquelas que você conseguiu guardar até hoje. Cada um de nós está construindo uma história, e as fotografias são registros de grande valor. 

Você já imaginou, se houvesse, nos tempos bíblicos, na época de Moisés, José, Davi, Daniel e até mesmo de Jesus, as máquinas fotográficas, as câmeras que temos hoje? Como seria mais fácil compreender a Bíblia, se tivéssemos imagens, filmes de como era a cultura naquele tempo! Por mais que os homens sejam hábeis em desenhar através de palavras, nunca será igual à imagem fotografada ou filmada. 

Daqui a 100 anos, quando muito de nós já não estiver mais aqui, a nossa história poderá ser contada pelos nossos filhos, netos, bisnetos, a partir desses registros fotográficos. Valorize as fotografias, seja na parede, no porta-retrato, no álbum ou na sua carteira...

O VALOR DE UMA FOTOGRAFIA

Fui tentado a te esquecer;
Não consegui, tu estavas lá.
Fui tentado a te perder;
Não consegui, tu estavas lá.
Fui tentado a não te perceber;
Não consegui, tu estavas lá.

Tua presença sempre presente,
No quadro, no álbum e na mente
Tornou-se uma imagem eternizada,
Marcando minha vida para sempre...

Passei no corredor, na sala e no quarto;
Meus olhos tentaram fugir, mas já estavam presos;
Lembranças vieram, lágrimas brotaram,
Pois a saudade dele, dela, de todos, me provou,
Apertou-me e me mostrou o valor daqueles que foram,
Mas ficaram...

Ficaram na memória o que eles deixaram;
Deixaram suas marcas, marcou-nos com generosidade,
Gratidão, amor e santidade.

Oh! Benditas imagens,
Imagens daqueles que geramos no
Coração ou no útero... Amigos, companheiros e irmãos,
Tira mais uma, por favor...

Fonte: www.familiaegraca.com.br


Tua Palavra - Paulo Cesar Baruk


Como a corsa anseia por água
Por ti, exulta o meu coração
Mais que o cego deseja ver a luz
Não quero viver longe da cruz

Cuida de mim, guarda o meu coração
O meu falar, o meu agir
Guia meus pés, põe teu azeite em minhas mãos
Para servir-te como queres
Para honrar-te mais e mais

(Refrão 2x)
Tua palavra é o que me fortalece
Quando é noite, quando o dia amanhece
Eu posso crer no teu amor
Faça chuva ou faça sol
Ao teu lado eu não me sinto só
(Tens o melhor pra mim) [só na 2ª vez]

Cuida de mim, guarda o meu coração
O meu falar, o meu agir
Guia meus pés, põe teu azeite em minhas mãos
Para servir-te como queres
Para honrar-te mais e mais

(Refrão)
Tua palavra é o que me fortalece
Quando é noite, quando o dia amanhece
Eu posso crer no teu amor
Faça chuva ou faça sol
Ao teu lado eu não me sinto só

Nas montanhas e nos vales
No oásis ou no deserto
Eu creio em ti
Senhor eu creio em ti

(Refrão 2x)
Tua palavra é o que me fortalece
Quando é noite, quando o dia amanhece
Eu posso crer no teu amor
Faça chuva ou faça sol
Ao teu lado eu não me sinto só
Tens o melhor pra mim [só na 2ª vez]

Tu Sabes Tudo




Clique na imagem para ampliar

A visão de Deus sobre sua vida




Clique na imagem para ampliar

O milagre de Angel

Uma menina de Louth (Inglaterra) deixou a comunidade médica de boca aberta. Angel Burton, que estava à beira da falência dos rins, conseguiu algo impensável: dois novos rins cresceram dentro dela.

Aos 5 anos, Angel (nome bem apropriado?) foi submetida a uma cirurgia por causa das infecções renais que a acompanhavam desde o nascimento. Foi quando os médicos de um hospital de Sheffield descobriram que a menina tinha quatro órgãos – os dois novos rins estavam crescendo sobre os falidos. Três anos após, os novos rins assumiram a função dos problemáticos e a Angel foi declarada curada.

Para a família, não há dúvida: Angel, aos 8 anos, foi salva por um “milagre”.
“É um milagre real. É absolutamente incrível que nenhum dos exames tenha detectado os rins extras. Estamos tão gratos por Angel voltar à felicidade e à saúde”, disse Claire Burton, mãe da menina.

De acordo com os médicos, os rins duplex se fundiram nas suas metades e têm ureteres totalmente independentes.

Fonte: O Globo
Eu vi: Ida Gospel

O bullying é uma epidemia social, diz educadora no Panorama



A condenação de um adolescente ao pagamento de R$ 8 mil por danos morais causados a uma colega da mesma idade por causa do bullying, em uma escola particular de Belo Horizonte, trouxe o assunto para ser debatido no programa Panorama da TV Assembleia. O bullying é caracterizado como um tipo de violência física ou psicológica que é praticado de forma constante por uma pessoa contra outra que, normalmente, não consegue se defender.


Os convidados do programa são o advogado Marconi Bastos Saldanha que impetrou a ação em nome de uma adolescente vítima de bullying, e a pedagoga Maria Inês Pereira, coordenadora de um programa de diagnóstico e prevenção ao bullying do Instituto de Educação de Minas Gerais.


O advogado Marconi Bastos Saldanha afirma que estudos internacionais mostram que o índice de jovens vítimas de bullying em Portugal e na Espanha é de 20% enquanto no Brasil este número chega a 35%, quase o dobro. E diz ainda mais: "Belo Horizonte é a segunda capital onde mais casos acontecem, só perde para Brasília", diz ele.


A pedagoga Maria Inês Pereira afirma que o programa de diagnóstico e prevenção do bullying do Instituto de Educação de Minas Gerias (IEMG) conta com o envolvimento de profissionais de diversas áreas, professores e pais de alunos, todos trabalhando de forma voluntária. "O bullying é uma epidemia social. A responsabilidade pela prevenção não é apenas da escola, mas de toda a sociedade", ressalta.


O programa traz ainda um depoimento do promotor de Justiça, Lélio Braga Calhau, autor do livro "Bullying - o que você precisa saber", referência sobre o assunto no país. O Panorama vai ao ar às 19 horas desta quarta-feira (26/5/10, com reprises à 1 da manhã de quinta-feira (27) e também no sábado, (29), às 7 horas e 18h30min.

Fonte: ALMG

Nossos dias - Suas mãos


Clique na imagem para ampliar

A Vida Vista da Cabine de Imprensa - Max Lucado

Acho que eu compreenderia, se alguém me explicasse porque nosso treinador de futebol da escola sempre desaparecia no meio do jogo.

 Lembro-me que durante meu primeiro jogo na equipe do último ano do colégio olhei do banco de reservas (onde passava a maior parte do tempo) e notei que ele não estava. (Tudo parecia mais silencioso). Eu não conseguia imaginar o que poderia ter acontecido. Fiquei com medo que a outra equipe o tivesse seqüestrado, ou ele talvez tivesse ficado doente por mascar fumo. Perguntei então a um outro jogador mais velho (eles sabem tudo):

"Onde está o treinador?", pensando ter sido o único a notar a sua ausência, o que me fazia sentir-me importante.
"Na sala de imprensa", respondeu.
"Tomando café?", perguntei. "Não; ele está obtendo uma perspectiva."

Uma casa em ordem


Clique na imagem para ampliar

Possuir Bíblia no Uzbequistão pode custar US$ 500

Igrejas e casas foram invadidas pela polícia e pastores foram presos

No Uzbequistão, a repressão aos cristãos cresce a cada dia. Líderes da igreja foram presos e com eles suas bíblias, literaturas e computadores. A ofensiva do Governo sobre os cristãos, que começou em 3 de maio, ainda está em curso.

A repressão começou depois que uma mãe muçulmana reclamou que seu filho tinha sido batizado. Logo, igrejas e casas foram invadidas pela polícia. Os pastores foram presos, pessoas que possuíam uma Bíblia na língua do Uzbequistão foram multadas em cerca de US$ 500, o equivalente a dois meses de salário mínimo  no Uzbequistão.

Embora o país seja de maioria muçulmana, (88% da população), o cristianismo é praticado no país sob a forma de Igreja ortodoxa russa, por quase 10% da população.

A lei contra o proselitismo tem pena máxima de quinze dias de reclusão. Essa pode ser a razão para que tribunais aplique multas com mais frequência. Elas chegam a 80 vezes o salário mínimo, que é de US$ 250 por mês, ou seja, US$ 20 mil.

Fonte: Redação CPADNews
 

Pastor 'reforça' a seleção na África

Anselmo Alves, da Primeira Igreja Batista de Curitiba, terá contato com sete atletas que comungam da mesma fé
 
Pastor Anselmo Alves, 51 anos, não tem o peso de Dunga na seleção brasileira. Não se trata também de um ilustre desconhecido. Evangélico da Primeira Igreja Batista de Curitiba, Anselmo é o guardião de um grupo influente de jogadores no elenco de Dunga. E já tem encontro marcado com os atletas em Johannesburgo assim que a seleção desembarcar na África. 

A casa dos meus sonhos


Clique na imagem para ampliar

Confiança, reputação e credibilidade

Reinaldo Polito 

Para que você conquiste bons resultados com a comunicação, é preciso que tenha credibilidade. Não há outro caminho. As pessoas só aceitarão as ideias que você propuser se confiarem em suas palavras. E confiança não é um atributo que se adquire de uma hora para outra. É uma qualidade que precisa ser conquistada a cada instante com seu comportamento e sua postura.

Tornando-nos íntegros




Clique na imagem para ampliar

Disque 100 recebe denúncias de maus tratos contra crianças

FANTÁSTICO - Domingo, 23/05/2010
Uma central distribui as ocorrências para Conselhos Tutelares e delegacias. Parentes e vizinhos são essenciais nas investigações. Meninas são a maioria das vítimas de agressões e crimes sexuais.


Fonte: Globo.com/Fantástico 

Isso desafia a lógica


Clique na imagem para ampliar

A centésima ovelha

Escrito por Rev. Hernandes Dias Lopes 

Jesus, o bom pastor, contou uma parábola imortal, falando do pastor que foi buscar a centésima ovelha, e depois de achá-la festejou seu resgate e alegrou-se com seus amigos. Essa parábola enseja-nos três preciosas lições:

Em primeiro lugar, a ovelha perdeu-se porque afastou-se do rebanho. A ovelha é um animal míope, inseguro, indefeso e também rebelde. Ela não pode proteger-se contra os predadores. Ela não tem um bom senso de direção. Sua segurança está em ficar perto do pastor e junto do rebanho. Sempre que se desgarra e se afasta da companhia das outras ovelhas, está sujeita a cair e ferir-se. A figura da ovelha é sugestiva. Não é por acaso que Jesus viu os homens aflitos como ovelhas sem pastor. Mesmo depois de convertidos somos ovelhas. Não podemos caminhar fiados em nossa própria força. Dependemos de Deus e uns dos outros. Não podemos nos afastar da congregação. Não é seguro viver isolado do rebanho.

A importância do caráter

Clique na imagem para ampliar

A Ele A Glória - Diante do Trono



A Ele A Glória - Diante do Trono
Porque dele e por ele
Para ele são todas as coisas 2x
Porque dele e por ele
Para ele são todas as coisas

A ele a glória
A ele a glória
A ele a glória
Pra sempre amém

Quão profundas riquezas
O saber e o conhecer de Deus 2 vezes
Quão insondáveis
Seus juízos e Seus caminhos

A Ele a Glória
A Ele a Glória
A Ele a Glória
Pra sempre, amém

(Kikongo - Dialeto da Angola)
Ma kikilu o mavwa
Ye nzayiln za nzambi
Unsongi zandi
Ye nzil'andi za kikilu

Kwa iandi o nkembu
Kwa iandi o nkembu
Kwa iandi o nkembu
Kwa mvn ya mvn amém

(Holandês)
Aan hem de glorie
Aan hem de glorie
Aan hem de glorie
Voor ceuwig amen

(Inglês)
To him be glory
To him be glory
To him be glory
Forever, amen

A ele a glória
A ele a glória
A ele a glória
Pra sempre, amém

Pra vida inteira




Clique na imagem para ampliar

O traidor do Hamas

14 de maio de 2010 - Por Duda Teixeira

O filho do xeque palestino que abandonou o Islamismo, denunciou terroristas 
e contribuiu para o serviço secreto israelense diz que sua fonte de inspiração foi Jesus Cristo 
(Foto: Divulgação)

Em 1987, o xeque palestino Hassan Yousef foi um dos sete fundadores do Hamas, grupo extremista islâmico que atua na Cisjordânia e na Faixa de Gaza. Os radicais da organização já comandaram 350 atentados contra israelenses provocando mais de 500 mortes. Seu filho, Mosab Hassan Yousef, 32 anos, é o autor do livro Filho do Hamas (Sextante), que chegou às livrarias brasileiras na semana passada. Na obra, revela como colaborou para o serviço secreto israelense, o Shin Bet, e explica por que converteu-se ao cristianismo. Yousef conversou com o repórter Duda Teixeira, pelo telefone, de Nova York.
VEJA TAMBÉM

Seu pai é um imã. Ele pregava o Islamismo nas mesquitas e ajudou a fundar o Hamas. O que o levou a converter-se ao Cristianismo? Depois de ser preso pelos soldados israelenses por porte de armas, em 1996, fui levado à prisão em Megiddo, Israel. Dentro do prédio, os detentos eram divididos segundo a filiação. Havia a ala do Hamas, que era a maior, a do Fatah, a da Jihad Islâmica e outras. Eu fiquei na do Hamas. Do interior das celas, testemunhei o que os integrantes do grupo faziam com seus próprios colegas. Quando os líderes do Hamas suspeitavam que um dos nossos estivesse dando informações aos israelenses, eles o torturavam. Havia interrogatórios diários. Isso fez com que eu repensasse alguns conceitos. Era um grau de brutalidade que nem mesmo os israelenses tinham conosco. Saí da prisão um pouco desnorteado. Mais tarde, comecei a estudar a Bíblia com amigos. O livro falava em “amar os seus inimigos”, o que fez todo sentido para mim.

Entre 35 e 39 anos, de cada cinco brasileiras, uma já fez aborto

Do G1 -Jornal Hoje - 21/05/2010 14h42 

Pesquisa ouviu cerca de 2 mil mulheres alfabetizadas e com 18 a 39 anos. De cada grupo de 100 brasileiras, 15 já fizeram pelo menos um aborto.

 

A primeira pesquisa nacional sobre aborto no Brasil traça um novo perfil da mulher que interrompe a gravidez. Ao contrário do que se pensava, a maioria não é de jovens solteiras, e sim de mulheres que têm um companheiro. Quase 60% delas também têm filhos. Quanto maior o grau de escolaridade, menor o número de mulheres que fizeram aborto. Entre as regiões, a Nordeste foi onde os pesquisadores registraram maior número de mulheres que declararam já ter feito aborto alguma vez na vida. A região de menor índice foi a Sul.


Foram ouvidas 2.002 mulheres das capitais, todas elas alfabetizadas e com idades entre 18 e 39 anos. O resultado: de cada grupo de 100 brasileiras, 15 já fizeram pelo menos um aborto. O mais surpreendente: já no fim da idade reprodutiva, entre 35 e 39 anos, de cada cinco mulheres, uma já fez um aborto. A pesquisa também mostra que quase metade das mulheres (48%) disse que usou remédios para induzir o aborto – e 55% tiveram de ser internadas depois.

O levantamento, realizado pelo Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero (Anis) e pela Universidade de Brasília (UnB), não abordou por que a entrevistada que recorreu ao aborto decidiu interromper a gravidez.

Fonte: G1 - Globo.com

 

Egoísmo ou altruísmo?

 Clique na imagem para ampliar

A soberania universal de Cristo

René Padilla
As palavras de Jesus em Mateus 28.16-20 contêm, em primeiro lugar, uma afirmação de sua soberania universal: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra” (v. 18b). Esta afirmação é anterior ao mandato de fazer discípulos (v. 19-20a) e à promessa de sua presença constante com seus seguidores (v. 20b). É importante notar também que quem faz esta afirmação é o Cristo ressuscitado, o Cristo que “foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos, a saber, Jesus Cristo, nosso Senhor” (Rm 1.4).

O que podemos dizer a respeito de sua autoridade?

Em primeiro lugar, que é uma “autoridade que é dada a Jesus e que ele recebe do Pai”. Ainda que, por ser a segunda pessoa da Trindade, ele já possua uma forma de autoridade, vale notar que a autoridade citada aqui é a que ele recebe em virtude de sua obediência sem reservas à vontade de Deus. Nas palavras do apóstolo Paulo em sua Carta aos Filipenses, Cristo Jesus, “subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.5-11).
Toda a vida de Jesus Cristo é uma magnífica ilustração de um princípio que faz parte de seus ensinamentos: “Todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado” (Lc 14.11). Ao sofrer a morte de cruz que o Império Romano reservava para os que se rebelavam, ele desceu ao ponto mais fundo da humilhação; ao ressuscitá-lo, “Deus o exaltou sobremaneira” (literalmente: o “superexaltou”) -- lhe deu “toda a autoridade no céu e na terra”, ou seja, o fez Senhor de todo o universo.

Em segundo lugar, a autoridade que Jesus recebeu do Pai foi uma “autoridade que ele obteve como Messias crucificado”.

Sua crucificação foi a culminância de sua humilhação, mas toda a sua vida, do princípio ao fim, esteve marcada pela humildade. Ele é tentado por Satanás no próprio começo do seu ministério terreno. Uma das três tentações às quais ele é submetido é a tentação do poder, quando o diabo o leva a uma montanha muito alta, mostra-lhe “todos os reinos do mundo e a glória deles” e lhe diz: “Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares”. Jesus lhe responde: “Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto” (Mt 4.9-10). Jesus tinha plena consciência de que sua missão messiânica não seria cumprida por meio de um Messias conquistador, segundo as expectativas judaicas nacionalistas, mas por meio do Filho do Homem, que “não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mc 10.45). Sua autoridade não é a de um rei capaz de se impor pela força das armas; é a autoridade de um Rei-servo.

Como é importante tomarmos consciência de que o Senhor que nos envia em missão não é um rei prepotente, mas o Messias crucificado, cuja autoridade possui uma estreita relação com sua disposição de entregar-se a si mesmo inspirada pelo amor!

Traduzido por Wagner Guimarães

• C. René Padilla é fundador e presidente da Rede Miqueias, e membro-fundador da Fraternidade Teológica Latino-Americana e da Fundação Kairós. É autor de O Que É Missão Integral? (Editora Ultimato).


Fonte: Ultimato

Vasos



Dor amiga




Clique na imagem para ampliar

A importância de escutar

Um erro freqüentemente cometido com o fim de comunicar-se é tentar causar uma boa impressão nas pessoas, parecer inteligente, espirituoso ou agradável. Mas, se você quer cultivar relacionamentos estáveis, deve estar disposto a concentrar-se naquilo que os outros têm a oferecer. Seja alguém que se impressiona e é interessado, não apenas alguém impressionante e interessante.

O poeta e filosofo Ralph Waldo Emerson dia: “Todo ser humano que conheço é meu superior, e sempre posso aprender dele alguma coisa”. Lembre-se disso e aprenda a escutar as pessoas. Assim, os canais de comunicação funcionarão com eficiência. Não existe interação sem a disposição de ouvir.

Dale Carnegie, autor do livro Como fazer amigos e influenciar pessoas, aconselhou o seguinte: “É possível fazer mais amigos em duas semanas, tornando-se um bom ouvinte, do que em dois anos, tentando fazer com que as pessoas se interessem por você”. Ele era incrivelmente habilidoso para compreender os relacionamentos. Reconheceu que os que apenas se concentram em si mesmos, falando sobre si e seus próprios interesses o tempo todo, raramente desenvolvem relacionamentos duradouros com outras pessoas.

Em seu livro A mágica de pensar grande, David Schwartz comenta que “pessoas grandes monopolizam a escuta; pessoas pequenas monopolizam a conversa”. Ao tornar-se um bom ouvinte, você estará apto a conectar-se com outros indivíduos em vários níveis e a desenvolver relacionamentos mais profundos, porque estará suprindo uma necessidade.

C. Neil Strait destacou que “todos precisamos saber que alguém nos escuta”. Quando você se torna este ouvinte importante, consegue ajudar as pessoas. Escutar aumenta nosso conhecimento.

Wilson Mizner disse que “um bom ouvinte não é apenas popular em toda parte; após um tempo, ele sabe algo”. É inacreditável o quanto você pode aprender sobre seus amigos, sua família, sua profissão, e sobre si mesmo, quando decide verdadeiramente escutar os outros. Nem todos, no entanto, estão dispostos a usufruir desse beneficio.

Tome muito cuidado para não se colocar em uma posição na qual você pensa que sabe todas as respostas. Toda vez que agir assim, estará em perigo. É quase impossível pensar em si como “o especialista” e continuar crescendo e aprendendo. Todos os grandes aprendizes são ouvintes.

Um problema comum aos que detêm autoridade é que, na maioria das vezes, passam a escutar menos as pessoas, especialmente as que se reportam a eles. Não é verdade que, quanto mais alto seu posto, menos se torna necessário ouvir os outros; ao contrário, sua necessidade de melhorar a habilidade para escutar aumenta. Quanto mais longe se está da linha de frente, mais se depende de outras pessoas para obter informações confiáveis.

Apenas se você expandir rapidamente a capacidade de ouvir poderá obter o conhecimento de que necessita para ser bem-sucedido. Se, no decorrer de sua trajetória, você acumular conquistas, não se esqueça da necessidade de continuar crescendo e melhorando.

Lembre-se: “um ouvido surdo é a evidência de uma mente fechada”.

Fonte: MAXWELL, John C. Segredos de relacionamento. São Paulo: Mundo Cristão, 2006
Eu vi no blog: 2=1 Descubra esse poder

Você duvida?




Clique na imagem para ampliar

Pessoas em primeiro lugar

Clique na imagem para ampliar

Veterano da fé: Russel Shedd (Entrevista)

Aos 80 anos de vida, o doutor Russell Shedd mantém-se como referência 
de integridade, conhecimento bíblico e vida cristã


Não é muito comum um líder religioso chegar aos 80 anos em plena atividade. Mais raro ainda é ter atravessado todo este tempo mantendo um ministério de visibilidade internacional. Agora, privilégio mesmo é poder ostentar uma reputação inabalada e manter-se como referência de conhecimento bíblico e saber teológico em idade tão avançada. Pois Russell Philip Shedd entrou para o rol dos octogenários em 10 de novembro passado com todas essas características. Missionário de origem americana, ele está radicado no Brasil desde 1962. Neste quase meio século, tem prestado decisiva colaboração à Igreja nacional, seja através de seus livros e trabalhos de cunho teológico, seja com suas pregações, conferências e palestras.


Buscando a Perfeição



“Um escritor é tão bom quanto seu editor.” Todos os bons escritores compreendem esta verdade – às vezes, seus escritos requerem tratamento corretivo. Quer isto signifique encontrar erros gramaticais ou de escrita, apontar uma frase de sentido obscuro ou desafiar o escritor a repensar o texto, a correção é importante na busca de conexão eficiente com o público.

A correção, porém, nem sempre é fácil. Pode causar desapontamento, desalento e, por vezes, até mesmo humilhação, ao ser informado que o admirável texto, laboriosa e amorosamente produzido, deixou de atingir seu objetivo, que é envolver o leitor. Temos, então, duas opções:considerar seriamente as recomendações e a opinião do editor, ou ignorá-las, convencidos que ele não aprecia nosso gênio literário.
O valor da correção (alguns a chamam de crítica construtiva) não está restrito aos escritores. Aplica-se a qualquer área. Até mesmo o mais talentoso profissional – seja vendedor, artesão, administrador ou executivo– necessita aprender e aprimorar habilidades para atingir a excelência. É de grande ajuda contar com alguém de fora, um observador objetivo, capaz de reconhecer nossas falhas e limitações e oferecer sugestões para que possamos progredir.
Mas a correção nem sempre é bem-vinda. Por vezes é levada a mal e rejeitada por questão de orgulho e falta de vontade para assumir atitude totalmente oposta –humildade. As consequências dessa recusa são bastante sérias, como demonstrado no capítulo 15 do livro de Provérbios:
  • É tolice: Às vezes é doloroso ser corrigido, mas seria de maior interesse prestar-lhe atenção.“O insensato (tolo) despreza a correção de seu pai, mas quem acolhe a repreensão revela prudência” (Provérbios 15.5).
  • É devastador: Ser disciplinado significa ser redirecionado no caminho que pretendemos percorrer. A má vontade em aceitar esta correção pode nos colocar no rumo errado, talvez de onde não haja retorno. “Quem ouve a repreensão construtiva terá lugar permanente entre os sábios. Quem recusa a disciplina faz pouco caso de si mesmo, mas quem ouve a repreensão obtém entendimento” (Provérbios 15.31-32).
  • É afastar-se da sabedoria: Uma vez tomada a decisão, pode ser duro aceitar correção, mesmo que seja para nosso próprio bem. Mas rejeitá-la sem ao menos considerá-la sinceramente é imprudência. “O zombador não gosta de quem o corrige, nem procura a ajuda do sábio” (Provérbios 15.12).
  • É útil para tornar claro planos e objetivos: Uma forma de avaliar o planejamento e estabelecimento de metas é pedir a amigos e companheiros de confiança suas opiniões e conselhos. A adição de seus pontos de vista torna mais provável chegar-se a conclusões corretas. “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros” (Provérbios 15.22).
  • É preciso humildade - A vida é um processo de aprendizagem que envolve a humildade de admitir que não sabemos tudo. O maior ato de humildade é submeter-se a Deus, reconhecendo que Ele governa nossa vida, mesmo que isso signifique sacrificar nossos desejos pessoais. “O temor do Senhor ensina a sabedoria, e a humildade antecede a honra” (Provérbios 15.33).

Questões Para Reflexão ou Discussão
1.  Você recebe bem a correção? 

2.  Como você reage quando alguém lhe diz que poderia ter feito melhor, no trabalho ou na vida pessoal, ou o repreende por algo que você fez ou disse, com ou sem intenção? 

3.  Qual lhe é mais fácil, corrigir outras pessoas ou ser você mesmo corrigido? 

4. Dos textos do livro de Provérbios citados, qual foi mais significativo para você e por que?

Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Provérbios 11.2; 13.10; 16.18; 19.20, 27; 22.4; 27.17.  
Por Robert J. Tamasy
 

O origami de Deus

Clique na imagem para ampliar

Escolhas difíceis

Clique na imagem para ampliar

Quem puxou o seu tapete?

Famosa líder chinesa se converte e conta seu testemunho

Chai Ling, a única mulher líder nos protestos da Praça da Paz celestial, 
se converteu ao cristianismo e foi batizada.

No dia de seu batismo, ela explicou os motivos que a levaram ao cristianismo: sua incapacidade de mudar a China e a dor de ver tanta violência em seu país, não somente no campo de direitos humanos e democracia, mas, principalmente, pelos abortos provocados pela lei que ordena que se tenha apenas um filho, definida por ela como “um massacre diário, mil vezes pior que o da Praça da Paz Celestial e feito às claras”.



O testemunho foi publicado na íntegra no site da ChinaAid (em inglês), no qual ela fala sobre os diversos encontros e dos amigos que colaboraram para que ela abraçasse o cristianismo. Chai Ling (foto) nasceu durante a Revolução Cultural, filha de soldados do Exército pela libertação do povo, na base nordeste da China. A conversão de Chai Ling é a mais recente entre as de diferentes líderes da Praça da Paz Celestial. 



Durante os protestos na Praça da Paz Celestial em maio-junho de 1989, Chai Ling tinha 23 anos e estudava psicologia na Universidade de Beijing (Beishida). Ela era a única líder mulher, que previu com grande tristeza o triste fim do movimento democrático (“Haverá um banho de sangue”, disse ela em uma entrevista alguns dias antes de 4 de junho). Juntamente com outros 11 estudantes, ela fez um juramento que derramaria seu sangue pelo país, tendo como modelo os heróis chineses do passado, que cometeram suicídio para despertar o povo.

Depois do massacre, Chai Ling se tornou uma das 21 pessoas mais procuradas pela polícia chinesa. Com a ajuda de um grupo de budistas e organizações de Hong Kong, após um período escondida, ela conseguiu fugir para a França, e depois Estados Unidos. Morando em Boston, ela se formou em Economia em Harvard, e com seu marido, Robert Maggin Jr., criou uma empresa de software que emprega 300 pessoas. Ela nunca esqueceu seu juramento e sempre doava parte de sua renda para orfanatos e organizações chinesas.

As ameaças e as dificuldades a fizeram perder a esperança. “Apesar de todas as batalhas e sucessos, compreendi como sou pequena se comparada ao sistema. Como eu, uma simples cidadã, poderia enfrentar um sistema inteiro, com muitos recursos?”

Chai Ling não teve ensino religioso. “Na China, não podemos acreditar em Deus. ‘Deus’ foi classificado pelos líderes como o mal que os capitalistas usam para fazer lavagem cerebral nas pessoas. ‘Deus’ era uma palavra proibida em nossa sociedade. Como resultado, o amor de Deus também assustava. A sociedade estava repleta de ódio, desconfiança e medo.

Apoiada por seu marido, um cristão protestante, e alguns amigos que trabalham como voluntários contra o aborto, Chai Ling decidiu aceitar Cristo no dia 4 de dezembro de 2009. No dia 4 de abril, ela foi batizada. A fé na ressurreição de Cristo a deixa mais segura da “vitória em Deus” em meio às tribulações.

Em seu testemunho, Chai Ling demonstra compaixão pelos líderes chineses responsáveis pelo massacre: Ela disse que o perdão de Deus é tão completo que mesmo um dos criminosos que estava com ele na cruz, quando se arrependeu de seus pecados, recebeu a promessa feita por Cristo de levá-lo ao céu. “Se os líderes chineses soubessem que, não importa o que tenham feito, se eles se arrependerem, poderão receber o mesmo amor e perdão que todos nós recebemos. Qual é o presente que eles receberão? Liberdade para eles mesmos e para a China!”

Depois de lutar por ideias de igualdade e democracia, eles descobriram que só há razão em seu comprometimento com os direitos humanos se ele estiver baseado em Cristo. “Quando pensávamos que se iniciava um movimento democrático, gritávamos que todos os seres humanos são iguais. Agora, posso dizer isso com certeza, pois Deus nos criou iguais, segundo sua imagem e semelhança.”

Fonte: Gospel Mais

Você está fugindo de Deus?

Clique na imagem para ampliar

Billy Graham: Procurar tratamento para depressão não significa falta de fé

Por Rodrigo Ribeiro Rodrigues - 08/05/2010 05:57h

O evangelista Billy Graham respondeu um questionamento de um internauta do Christian Post sobre a depressão


Muitas acreditam que a depressão está ligada a falta de fé, porém um dos maiores evangelistas que já surgiu, Billy Graham, discorda dessa tese. Confira a resposta dada a um internauta do Christian Post.

Internauta: Eu não entendo o que está acontecendo com minha esposa. Ela parece ter perdido toda a alegria de viver, e em alguns dias ela quase não consegue sair da cama. O médico diz que ela precisa de um medicamento anti-depressivo, mas alguns amigos dizem que nós só precisamos de mais fé. Ela quer que eu tome a decisão, mas eu não sei o que fazer. - K.S.

Billy Graham: Eu sou grato por sua preocupação com sua esposa, e eu espero que você faça tudo que puder para ajudá-la. Afinal, se você estivesse em sua posição, eu tenho certeza que iria pedir para ela te ajudar - assim como ela está pedindo a você. A Bíblia diz aos maridos, "Cada um de vocês ... ame a sua esposa como a si mesmo" (Efésios 5:33).

Eu não sou um psicólogo ou psiquiatra, é claro, mas sua esposa certamente parece estar sofrendo de depressão (como diz seu médico). Às vezes, a depressão tem uma causa espiritual, o Rei David, por exemplo, estava deprimido depois que ele secretamente cometeu adultério - e sua depressão não passou até que ele confessou o seu pecado e buscou o perdão de Deus (veja Salmo 32).

Mas a depressão muitas vezes tem outras causas, como desequilíbrios bioquímicos em nossos corpos. Seu médico, aparentemente suspeita que é esse o caso com sua esposa. Nossos cérebros são incrivelmente complexos, e quando algo sai do equilíbrio pode afetar nossa maneira de pensar e olhar para o mundo. Muitas vezes isso pode ser corrigido com medicação adequada.

Isso significa que você estaria deixando Deus de fora do processo, ou olhando para a medicina, ao invés de buscar em Deus uma solução? Não, você não deve pensar dessa maneira. Ao contrário disso, se o medicamento funciona, enxergue-o como forma de Deus responder as suas orações - e o agradeça por isso. Entretanto, constantemente assegure a sua esposa de seu amor - e do amor de Cristo, também.

Billy Graham, norte-americano nascido em 7 de Novembro de 1918 em Charlotte, Carolina do Norte. Foi conselheiro espiritual de vários presidentes americanos. Foi ainda o mais proeminente membro da "Convenção Batista Sulista dos EUA".

Graham já pregou pessoalmente para mais pessoas do que qualquer pregador da história ao redor do mundo. De acordo com a sua equipe, a partir de 1993, mais de 2,5 milhões de pessoas tinham "Um passo à frente em suas cruzadas para aceitar Jesus Cristo como seu Salvador pessoal". A partir de 2008, a audiência Graham's lifetime, incluindo rádio e televisão, superou 2,2 bilhões.

Adaptação/ Tradução: OGalileO
Com informações de Christian Post/ Enciclopédia Livre
Fonte: O Galileo

Médico chora ao descrever o sofrimento de Jesus na Cruz

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, 
para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. - João 3:16

Receita saudável

Clique na imagem para ampliar

Como manter todos na escola

Rodrigo Ratier - Nova Escola

É fácil culpar o aluno pelo abandono, mas o desafio de diminuir os índices de evasão exige que a escola repense suas práticas cotidianas

NENHUM A MENOS Para atrair, a escola deve ser um local de acolhida e de aprendizado.

Imagine por um instante o momento mais agudo da aula mais difícil. Meia dúzia de alunos dormem nas últimas fileiras. Um trio troca mensagens de celular. Dois meninos se estapeiam. Uma turma discute sobre futebol. Nas primeiras carteiras, só um pequeno e compassivo grupo se esforça para prestar atenção naquilo que você, aos berros, tenta dizer. Nessas horas, um pensamento emerge: "Gostaria de ensinar apenas para os que querem aprender. Quem não está a fim que saia. Será melhor assim!"

Não será. O desafio de ser professor exige educar todos, sem exceção. O Brasil, por enquanto, está perdendo essa batalha. É verdade que os índices de acesso à Educação avançaram nas últimas três décadas (97,6% das crianças e dos adolescentes entre 7 e 14 anos estão na escola). Mas os indicadores de permanência - a taxa de abandono, que mostra os que não concluíram o ano letivo, e a de evasão, que aponta os que não se matricularam no ano seguinte - não caminharam no mesmo ritmo. Hoje, de cada 100 estudantes que ingressam no Ensino Fundamental, apenas 36 concluem o Ensino Médio (veja o gráfico na página 3).

Responsabilizar o aluno pelo abandono é a saída mais fácil. Na verdade, ele é o menos culpado. Pesquisas indicam que existem dois conjuntos de fatores que interferem no abandono escolar. O primeiro deles é o chamado risco social. Fatores como a condição socioeconômico e o lugar de residência podem aumentar a pressão para a desistência: com a necessidade de complementar a renda familiar, muitos jovens são atraídos pelo trabalho precoce e largam os livros. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2007, apenas 21,8% dos adolescentes que têm ocupação continuam indo às aulas.

Entretanto, os estudos mostram que a própria escola colabora para agravar a evasão. Os altos índices de repetência exercem um papel fortíssimo - longe de sua faixa etária original, o aluno se sente desmotivado a seguir aprendendo (o assunto é tão importante que merecerá um artigo no mês que vem). A miopia para enxergar o problema atrapalha. Em geral, a interrupção dos estudos é o passo final de um processo que deixa sinais. O primeiro costuma ser o desinteresse em sala. Indisciplina e atos de violência também são comuns. Logo começam as faltas, cada vez mais frequentes. Por fim, a ausência definitiva.

Também são recorrentes, sobretudo entre os jovens, as queixas de que a escola "não serve para nada". Estudioso da relação entre os jovens e o saber, o pesquisador francês Bernard Charlot descobriu que a maioria só vê sentido em ir à escola para conseguir um diploma, poder ganhar dinheiro num emprego ou ter uma vida tranquila no futuro. Como predomina a ideia de um aprendizado sem sentido, muitos se desestimulam e desistem. O relatório Motivos da Evasão Escolar, da Fundação Getulio Vargas (FGV), aponta que o desinteresse é a causa principal da saída definitiva para adolescentes entre 15 e 17 anos.

Fica claro que a escola precisa olhar para si própria. Do ponto de vista da gestão, uma providência essencial é atacar as causas da evasão. O acompanhamento eficiente da frequência - que também deve estar na pauta das reuniões pedagógicas - ajuda a mapear o problema e identificar os motivos das faltas. Dependendo da razão, é possível escolher a melhor forma de reverter o quadro: conversas com pais e alunos, visitas às famílias, aulas de reforço e campanhas internas e na comunidade. O tom deve ser de parceria e acolhimento, nunca de punição.

Suspensões e expulsões podem ser rediscutidas. A ideia é simples: se a indisciplina é um dos caminhos que levam à evasão, não faz sentido punir o aluno impedindo que ele vá à escola. Em vez disso, é possível pensar em medidas que modifiquem a rotina do estudante, mas que o mantenham na instituição - estudar sozinho, com a obrigação de acompanhar o conteúdo, é uma alternativa.

Leia mais:
Fonte: Nova Escola